macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

" Na Santidade do dia "



       A manhã ficou inesquecível
       Quando veio pelos teus passos,
       Arrastando o bailado das andorinhas
       E a alegria dos pastores.

       Poderia ser uma manhã
       Assim como as outras.
       Corriqueiras como as manhãs
       Tão cheias de flores,
       Faltando um olhar trêmulo
       E suave mão para tocá-las.

       Veio diferente, pelos seus tropeços
       E uma timidez que apenas murmurava:
       Me abrace de olhos fechados,
       Que eu não devo cair.
       Não me exponha assim tão frágil
       Em tuas varandas!

       Me protege das alfazemas
       E dos lençóis, por enquanto
       Preciso de um compasso de mulher,
       Para compassar o momento
       Do coração.

       Preciso de musica apenas,
       E de silêncios.
       O meu amor declamará
       Em hora certa!

       Brincamos como crianças
       Límpidas, de orvalho matinal
       Esperando a canção dos lençóis.

       Risos em filigramas,
       Na santidade do dia!



      
Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 11/03/2008


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras