macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

" Juventude "



         Ah! Não maldigas aquela fronte erguida
         E o peito ardente a suspirar de amor!
         É uma juventude alegre e escandalosa,
         Arrebentando em luz e se tornando flor!

         Deixar que ela assim persista,
         È planejar na terra uma esperança;
         Mover-se em sonhos relembrados
         Com doce humildade de criança.

         Acaso invejarias,
         Mais uma primavera explodindo?
         O sonho se abastecendo em vida,
         Aquilo que é quimera, indo e vindo?

         Ah! Não maldigas aquele olhar reinante,
         Que faz a tarde assim tão colorida!
         Ou eu direi que esta amargura,
         É tua mocidade recolhida!


Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 14/01/2008


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras