macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Trágico



Nunca zombarei dos teus pés
Deformados pelo salto alto
Nem dos teus cabelos horrorosos
Pintados com as cores
Da bandeira nacional

Respeito este teu jeito ordinário
De mulher que vive na boca do povo
Este mesmo povo que comenta
O meu nome misturado ao teu

A cada noite tenebrosa, observo,
A tua silhueta despojada sobre o leito
O pânico me cala, sou torturado
Pelas tuas peles flácidas, o ronco incontido
Num desarranjo total

Só maldigo os anos que te levaram
O rosado das faces,
As coxas acetinadas, o sexo em flor,
A boca onde mergulhavam, os meus beijos

Ó vida, lama em que nos tornamos,
Te perdoo pelas minhas angustias
Não te trairei, não te abandonarei, nunca!
       ( Porque me amas )
Desprezar uma mulher que ama,
É derramar gasolina no inferno!



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 29/11/2015


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras