macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Fantasmas



Se tens duvidas sobre o nosso amor
Olhe para as folhas secas.
É outono em nossas almas!

Vejo a neve invernarem os teus olhos
Meus braços frios não conseguem agasalhar
Teu corpo, tua alma dispersa
Que não me apraz alcançar.

O coração semeia germes por onde passa.
No coração de outros amantes
Existem amores dispersados, esperando
Mãos libertas para segurá-los.

Não faz sentido em nossas vidas,
De engano em engano
Carregarmos o fantasma
De um sonho que morreu!

É hora de adormecermos estes dias
E estas noites cheias de frio.

Tão mortas... Tão mortas!





Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 14/05/2015
Alterado em 14/05/2015


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras