macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Entranhas



Arranca um pedaço de mim
pra colar no seu corpo
Faça um enxerto cruel
Feito de amargura
Não há que ter que explicar a loucura
A vida é um poço de mágoa
Um favo de mel
Deixa um lugar pra ternura
Onde eu possa ficar
Com o meu sonho acanhado
E possa olhar
Sua dor consumindo as entranhas
De um amor que morreu
O meu corpo rasgado
Afogado no seu




Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 30/12/2014


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras