macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Fuga



A minha vida é muito longa
Vou andando e vou deixando
Meus pedaços pelo caminho
Os meus sonhos no amanhecer

Há o momento em que o céu
Despeja em mim suas estrelas
Quando me olhas, mesmo sem querer
E por querer, de amor me ilumino

E de seguir os versos dos teus passos
Como quem segue a luz da própria vida
Às vezes surge um cansaço à toa
Fico desnudo em plena avenida

Se delicado, o coração se abrisse
Eu não queria esta ilusão constante:
Que a esperança não coubesse em mim
E a felicidade nunca depender de ti




Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 24/11/2014


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras