macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

A felicidade
Houve um dia, em que todos acordaram em paz.
A cerração parecia azul, e se encontrava com o céu, como se o mundo fosse um grande cristal de água marinha.
As moças, que já não sabiam brincar de roda, viam encantadas, o mundo girar entre elas.
A professora convidou as crianças para um piquenique, e todos levaram mudas de árvores para plantar na beira do córrego, já que era primavera.
A jaca rachou de madura. As mangas caiam dos pés. As goiabeiras convidavam os homens e as maritacas.
As monjas cantavam hosanas. Os incrédulos tinhas as mãos cheias de  bênçãos.
Um palhaço imenso, pisando com pernas de pau, anunciava:
Hoje tem alegria, hoje tem namorada - Tem sorrisos e palmas da meninada.
A moça mais bonita andava pela rua, com floradas nas mãos, parecia uma estrela pisando na terra. Era como se Nossa Senhora um dia descesse a serra.
E houve reencontros, casamentos, batizados. Crianças nasciam sorrindo, no sorriso das mães.
Um fio de ouro, iluminou os lábios de Catarina. E todos, encantados, foram para as ruas batendo palmas sem saber o motivo. Sem saber como explicar, que a felicidade estava ali .



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 29/10/2014
Alterado em 25/02/2017


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras