macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Entidade


               Quem me viu não te esquece
               Quem olha dentro dos meus olhos te vê
               Quem me abraça se aquece em teu calor
               Meu amor, meu amor, meu amor

               E te apossas de todo meu corpo
               Como uma entidade
               E dominas todos meus sentidos
               Até por maldade
               E eu cuido de tí
               Como se fôsses um serafim
               Na necessidade
               De que gostes de mim
               Meu amor, meu amor

               Procurei entender nosso caso na magia
               Busquei misturar os mistérios da alquimia
               E te ví mais assim
               Como um doce querubim
               Pra me enganar
               Que tu gostas de mim
               Meu amor, meu amor.

Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 12/04/2007


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras