macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Paixões
    
           Paixões
           Que seduzem almas
           Que ja foram calmas
           Hoje incendeiam
           Nossos infernos

           Nossas vozes loucas
           Que ficaram roucas
           De gritar
           Pelo bem vivido
           O amor partido
           A esperança ida
           No olhar perdido
           Que não vejo mais

           Paixões
           Tão devastadoras
           Mais que assustadoras
           Arma de homicidas
           Fonte de discórdia
           Vidas retorcidas
           Um punhal que fere
           Na mão do suicida

           Te busquei nas dores
           Que há nas romarias
           Na voz dos poetas
           A chorar poesias
           Te encontrei nos sonhos
           Que ofertavam paz
           Pra morrer dos beijos
           Que não tenho mais.


Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 28/03/2007
Alterado em 04/12/2007


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras