macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Voluntariamente

         Todas as cores não são tuas cores
         Nem mesmo o sol te consegue imitar
         Rara beleza eu quero os teus beijos
         E o teu abraço pra me sufocar

         Como um vampiro que busca no sangue
         Uma maneira de se eternizar
         Sou tua presa voluntariamente
         Pelo prazer infinito de amar

         Vem me sugar com tua lingua vadia
         Deixa o teu corpo no meu se abrasar
         Amo e te amo e perco a cabeça
         Amo e te amo e nem quero pensar

         Vem me deixar como alguem que delira
         Alguem que ama e não sabe explicar
         Amo e te amo e vou te vivendo
         Eu te preciso eterna de amar.


Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 28/03/2007
Alterado em 04/12/2007


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras