macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Pedaços

Há um pedaço de mim em cada esquina!
Assim vou confiante que os meus olhos dispersos, vigiarão as ruas e os membros do meu corpo, que vão dispersando a cada passo, onde componho uma dança feita de silencios: Só o coração sabe a melodia.

Esta dança é minha. A musica só eu escuto!

A noite é espessa, os homens parecem feitos de terra bruta. Nada me detém.
Troquei o medo por outro medo, e vou.
Folhas cairão mortas, outras brotarão em paz!

Nada me assusta pelo que me olha, e onde vejo. Os anjos estão despertos, por amizade antiga.

Os sonhos escapam pelos dedos e ingenuamente sempre retornam pelas aberturas secretas da alma.

As alamedas me seguem e vou seguindo as alamedas, diluído em sombra e luzes.

Trago uma flauta dentro do peito.

O sereno é lírico!



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 18/12/2012
Alterado em 01/08/2014


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras