macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Despedaçados


E assim fomos nos perdendo
Por caminhos menores
Estradas estreitas
Roupas velhas
Imagens desfeitas
Olhares distorcidos
Sonhos envelhecidos
Esperanças apodrecidas

Por mais que a ventania
Dobre a copa das arvores
Por mais que o futuro
Acene outro futuro
Vejo o riso imperfeito
No teu rosto
E em teu olhar
Que me acendeu o dia:
Nada mais!

O meu sorriso
É como um anjo
Despedaçado
No espelho .


Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 27/04/2011


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras