macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Memórias



Agora, não temos a pele de nectar e ambrosia
Nem o cheiro delicado das manhãs amigas
O sabor nos lábios úmidos - únicos -
Que em outros lábios não achei

Agora, as carícias pálidas
São tênues como brumas de verão
Ja não temos o mesmo fôgo
Que incendiava o coração

A comédia é quase finita
Insiste, porque o amor teimoso
Não desistirá de nós
Porque não nos desistiremos:
Sobreviveremos na memória

A saudade então irá passear
Por onde houver lembranças:
Nos bosques da infância
Nas tardes da nossa mocidade



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 19/07/2010
Alterado em 04/08/2010


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras