macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Um Coração Amoroso



De tanto amor
Eu inventei o mar
Um rumo incerto para navegar
Uma estrela que sempre sorria
Outra que estava sempre a reclamar

De tanto amor
Eu fui dançar em todas as folias
Rodei o mundo do jeito que quís
Andei no tempo e atravessei o tempo
Sem ter horario para ser feliz

De tanto amor
O amor girava assim em confusão
Me divertindo feito bailarino
Equilibrando a valsa em minha mão

De tanto amor
Meu coração foi velho e foi menino
E ao reverso de uma borboleta
Não conseguiu mudar o seu destino

De tanto amor
Como corsário, eu quero a dor do mar
Velas içadas, mar sem calmaria
Onde eu não possa me desinventar .


Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 15/01/2010


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras