macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Ama-me com moderação



Ama-me na dose certa
Embora o amor não possa ser dosado
Ama-me com a quantidade suficiente
Prá não me afogar

Queira-se um pouco mais
Querer-se é um compromisso de amor
O diamante raro exige dias de carinho
Para despertar seu esplendor
Uma mulher oferecida
Perde logo o seu valor

Assim como moça muito perfumosa
Afugenta homens, anjos e animais
Seja discreta no sorriso e no andar
E ensina-me a ser bondoso
Um coração apaixonado
É por demais cauteloso

Me dê um dia
Para descansar dos meus ciúmes
Me dê um outro
Para eu perdoar os teus queixumes

Assim como uma só mulher
Pensa melhor que dois senhores
(Quando a cabeça não está fora de lugar)
Pense-nos um pouco

"Tudo demais é sobra"
-Como diziam os antigos-
E se o amor transbordando, sufoca
Ama-me com moderação.



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 10/09/2009


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras