macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Dor de Amor



A dor do amor, Senhora
É feito uma armadura
Que vai apertando o peito
Até mostrar sangradura

Batiza com ferro e fogo
No fogo que se acendeu
É como mãe que suspira
Por filho que já morreu

A dor do amor, Senhora
É lobo sem a matilha
É ave cuidando a cria
Segura numa armadilha

É grito escapulido
Que a alma quis esconder
Pro corpo triste, minguado
Não ter como enlouquecer



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 13/12/2008


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras