macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

" Na Santidade do dia "



       A manhã ficou inesquecível
       Quando veio pelos teus passos,
       Arrastando o bailado das andorinhas
       E a alegria dos pastores.

       Poderia ser uma manhã
       Assim como as outras.
       Corriqueiras como as manhãs
       Tão cheias de flores,
       Faltando um olhar trêmulo
       E suave mão para tocá-las.

       Veio diferente, pelos seus tropeços
       E uma timidez que apenas murmurava:
       Me abrace de olhos fechados,
       Que eu não devo cair.
       Não me exponha assim tão frágil
       Em tuas varandas!

       Me protege das alfazemas
       E dos lençóis, por enquanto
       Preciso de um compasso de mulher,
       Para compassar o momento
       Do coração.

       Preciso de musica apenas,
       E de silêncios.
       O meu amor declamará
       Em hora certa!

       Brincamos como crianças
       Límpidas, de orvalho matinal
       Esperando a canção dos lençóis.

       Risos em filigramas,
       Na santidade do dia!



      
Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 11/03/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras