macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

" Meus 40 Anos "


  Estacionei a minha idade nos 40 anos
  10 anos se passaram e eu continuo com 40 anos
  Vou morrer dizendo que tenho 40 anos
  Vou mandar colocar no tumulo que morri com 40 anos
  A idade é minha, faço dela o que quiser

  Ninguém tem a moral de violar
  Os meus sagrados direitos
  De desviar do meu caminho
  Excesso de anos dispensáveis

  Eu tenho 40, 20, trinta
  Qualquer idade que vier na telha
  Sou como mulher enluarada
  Eu tenho a idade das sombracelhas!

  Não falo a minha idade
  Para o papa e nem pro sacristão
  Nem pra libertar meus pecados
  Na hora da extrema unção

  Quem inventou a idade foi o anjo caído
  Para dividir as gerações
  Apoiado pelos tiranos da antiguidade
  Para saciar a fome dos leões

  A idade deveria ser uma senha
  Protegida por outra senha
  Que nós esquecemos
  De memorizar

  A idade é o segredo das rugas
  O iniciático mistério do reumatismo
  Que faz gritar o poeta
  Um canto angustiado de lirismo

  Que doam os ossos
  Que salpiquem as artérias
  Sou um poema sem identidade,
  Na primavera da eternidade




  
Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 26/01/2008
Alterado em 26/09/2009
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras