macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

" Juventude "



         Ah! Não maldigas aquela fronte erguida
         E o peito ardente a suspirar de amor!
         É uma juventude alegre e escandalosa,
         Arrebentando em luz e se tornando flor!

         Deixar que ela assim persista,
         È planejar na terra uma esperança;
         Mover-se em sonhos relembrados
         Com doce humildade de criança.

         Acaso invejarias,
         Mais uma primavera explodindo?
         O sonho se abastecendo em vida,
         Aquilo que é quimera, indo e vindo?

         Ah! Não maldigas aquele olhar reinante,
         Que faz a tarde assim tão colorida!
         Ou eu direi que esta amargura,
         É tua mocidade recolhida!


Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 14/01/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras