macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Da poesia






Não venha com esta falsa nostalgia
Fazer-me acreditar, que andas como eu
No mundo da lua.
O materialismo não sabe o que é poesia.
O salto alto te prende à terra,
Ás ilusões do mundo.

Não gostas de poesia.
Ela é o refugio de gente desorientada
Que chegou no planeta terra,
E se desencontrou, feito eu,
É coisa de quem vive de alegorias,
Se agarrando nas possibilidades do sonho,
De se fartar de estrelas.

Poesia não é discurso fácil. É imensidão
Da alma que procura elos perdidos
Desencontro de astros, outras almas perdidas,
Feito eu.

Poesia não é coisa fácil de mastigar,
É o alimento dos que desviaram do caminho
É augúrio de se cobrir de versos
Pra não derreter na estrada.

Poesia é loucura não consentida,
É o espirito que foge para outras dimensões,
Onde só o poeta consegue penetrar.
É sentimento que vem de coisas inexatas,
De outras eras, ou de esperar que amanhã
A natureza borbulhe e faça explodir,
As floradas da primavera.

Destas coisas de navegar no éter,
De ser feliz, não sabes nada.











Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 09/05/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras