macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Presságios



Brilham como pérolas as lágrimas dos amantes, e a frase final se eternizou no olhar.

Ainda que a noite escura recupere os fragmentos do último beijo, e o nosso definitivo abraço ainda queime o nosso corpo, respiraremos.

Ainda vigiaremos outras tardes se debruçarem no colo da noite. Sonharemos em cada raio de luar uma estrela, e cada página do livro declamará um verso de tristeza ou alegria, nas estrofes da vida.

A esperança vale mais que a neve densa, despenhadeiros profundos, e a solidão sem fim.
O sonho anoitece e volta a brilhar com a claridade de um outro amanhecer.

A vida imita a volatilidade das nuvens. Nada é eterno debaixo do sol.

Mas o amor se fez e descansa feliz em seus braços, como um filho amado, com ternura e paz.

Esta, é a luz que se veste a cada manhã, com o esplendor do sol.  




Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 15/02/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras