macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Ao grande espirito




Grande espírito,

Abençoai as montanhas, que fazem os rios, e os bagres dos rios, e as baleias do mar.

Abençoai a lua que anda no céu, e faz dançar as marés. E o sol, que provoca o vapor e faz acontecer a alegria da chuva.
E abençoai o trovão, que desperta a terra, e liberta as raízes do milharal.

Abençoai o homem que trabalha a terra. Abençoai os pés, e as mãos que semeiam e colhem os frutos generosos do chão.

Abençoai as hortaliças que alimentam, que embelezam os canteiros, e o capim de cheiro que vem perfumar minha casa.

Abençoai os que sonham sonhos nunca sonhados, nunca realizados, mas que sonham.

Abençoai aquilo que não vejo, aquilo que não tenho em minhas mãos. Se não tenho, é porque não faz falta em minha vida. Não precisa ser mostrado.

Abençoai a mulher que chora, a mulher que ri, a mulher que balança as ancas na avenida.
Ela é a herdeira do parto, dos conchavos da vida, a luminosidade do carnaval.

Abençoai as alminhas,
                                  Das Rolinhas,
                                                          E do beija flor.













Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 23/06/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras