macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Um poema lírico




Tudo é novo e tudo é belo
Quando estás aqui.
Se estás presente,
Os velhos passos nas calçadas
Se renovam
E árvores centenárias florescem
Nas alamedas.

Moinhos antigos voltam a moer o trigo
E margaridas misturam-se nos bosques.

Morangos silvestres brotam entre as pedras
Esperando lábios para toca-los.

Estátuas nos jardins se abraçam solenemente
Pelos raios do luar entre os coqueirais.

Tudo é paz e tudo é bem
Se caminhas ao meu olhar,
E os meus passos junto aos teus
Brincam cantigas de roda.

Bem longe ou bem perto,
Um piano trás canção ouvida
Que outra vez inda ouviremos
No prazer de agora.

Os belos tempos voltam na memória.



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 07/03/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras