macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Delírios



Então, isso é a vida?
Arder constantemente,
Constantemente arder,
Delirar pelo seu corpo que me queima
E me incendeia as vísceras?

E quanto mais em chamas, mais eu amo
E mais eu quero essa presença
De você em mim
E de mim, a ânsia de ficar eterno
Entre as suas coisas
Com os meus pecados

Assim que vem a noite,
Assim, outro amanhecer
E a cada recomeço de estação
Eu recomeço nos seus braços
E nos meus braços recomeça
A infinita graça, a infindável dor
De se amar demais,
Se consumir de amor






Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 14/11/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras