macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Quando estás aquí



Quando estás aqui
A vida deságua felicidade
Entre os verdes mares dos teus olhos
E o vigor dos teus seios nus - Não adormeço -
Um corpo adormecido não consegue vibrar
Nos teus braços sou eternidade

Quando estás aqui, não sinto vergonha
De me ajoelhar e suspirar profundo
Nenhum de nós precisa pedir perdão
Sempre estamos perdoados

Não tenho medo de ser feliz
De sorrir e de chorar
Lágrimas e sorrisos fazem festa
Quando nos completamos

Ainda agora tenho em minhas mãos
As tuas coxas trêmulas
Seu sexo faminto, brinda-me
Com licor de raro sabor
Eu te venço e tu me vences
Morremos e renascemos um no outro
No aparecimento do amanhecer .



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 06/11/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras