macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

A felicidade
Houve um dia, em que todos acordaram em paz.
A cerração parecia azul, e se encontrava com o céu, como se o mundo fosse um grande cristal de água marinha.
As moças, que já não sabiam brincar de roda, viam encantadas, o mundo girar entre elas.
A professora convidou as crianças para um piquenique, e todos levaram mudas de árvores para plantar na beira do córrego, já que era primavera.
A jaca rachou de madura. As mangas caiam dos pés. As goiabeiras convidavam os homens e as maritacas.
As monjas cantavam hosanas. Os incrédulos tinhas as mãos cheias de  bênçãos.
Um palhaço imenso, pisando com pernas de pau, anunciava:
Hoje tem alegria, hoje tem namorada - Tem sorrisos e palmas da meninada.
A moça mais bonita andava pela rua, com floradas nas mãos, parecia uma estrela pisando na terra. Era como se Nossa Senhora um dia descesse a serra.
E houve reencontros, casamentos, batizados. Crianças nasciam sorrindo, no sorriso das mães.
Um fio de ouro, iluminou os lábios de Catarina. E todos, encantados, foram para as ruas batendo palmas sem saber o motivo. Sem saber como explicar, que a felicidade estava ali .



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 29/10/2014
Alterado em 25/02/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras