macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Um verso



Quando um verso vier tocar-lhe nas paredes da alma, escreva-o.
Não o deixe vagando nos confins da eternidade, procurando uma mão para segurá-lo.
Da-lhe vida, mesmo que por um momento fugáz, da-lhe alma. depois destrua-o, Ele ja terá dado o seu recado. Sua ansia de se manifestar entre as coisas animadas, dos homens e das causas.

Cumpriu o seu destino de ser verso!




Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 07/02/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras