macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

À Letícia



A chuva acordou a terra e o jardim
E as flores tímidas, desajeitadas
Curvaram os galhos para o chão
De onde acontece o milagre da seiva

Onde perpetuamente os elementos
Comandam os laboratórios da terra
Incansáveis alquimistas transmutam
Enzimas em sêres, carbono em diamantes

Aquí e alí tudo respira
E em meio à estrelas e nuvens
Os homens são bolhas passageiras
Que se esfumam entre vagas e épocas

A natureza segue o seu ritual
A noite vem brincar com o dia
Seguindo às cambalhotas do vento
O milharal procede a dança da alegria

Amanhã pássaros cantarão
Formigas desfilarão o seu labor
Casais risonhos se abraçarão
E as borboletas virão saudar a flor .


Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 01/11/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras