macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Noites de Fé

Os véus dançavam nas mãos
Das filhas virgens de Maria
Na noite que comeu o dia

A brasa, o sândalo e o alecrim
Na harmonia do incensório

Como pintura de aquarela
A cândida menina
Que quer morrer donzela

A rosa flor com o perneta
Que ja dançou Romeu e Julieta

A mãe de santo e o charuto
No olhar do bêbado, hirsuto

A noite, a vela, a lamparina
Iluminando os pêlos da vagina

O saco, o chato, no soldado
E um ser humano incomodado

O padre André e o ateu
Vão carregando o bom judeu

E pela noite um anjo impávido
Vai começar velha canção

As putas, as putas, as putas
Todas as putas do pinhão
Ajoelhadas e de mãos postas
Cantavam em louvação

Uma cobra iluminada
Virando procissão .



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 17/11/2009
Alterado em 19/11/2009
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras