macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

A vida

A vida passou derrepente
E foi levando os meus brinquedos
Na curva do rio levantou um muro
Escondendo os meus segredos

Devastou o bosque onde luziam
As imaculadas margaridas
E foi cuspindo sangue e lágrimas
Abrindo-me em feridas

Então adormeceram os sonhos
Que eu quís sonhar em demasia
E transformou em pobre pantomima
Pequenos momentos de alegria

Engraçado quando me dei conta
Da semelhança entre noites e dias
Escorrendo-se entre  meus dedos
Em horas fugidias

Pensei que fosse eternamente jovem
E não me levasse os belos anos
Pobre de mim que acreditei em tí
Velha senhora, mãe dos desenganos!


Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 26/05/2009
Alterado em 02/06/2009
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras