macacos e colibris

Crônicas  Textos  Entrevistas

Textos

Recadinho para a prisão de ventre
Um anjinho imaculado
Que está ao meu lado, sempre
Soprou-me uma receitinha
De curar prisão de ventre:

Acordar na manhânzinha
Com um copo de água na mão
Ameixas secas, vistosas
E um sorridente mamão.

Dê preferencia às frutas
Na primeira refeição
Por ser o clima tropical
Deixa alegre o coração.

Pêra, abacate e laranja
Manga, maçã e kiwi
Banana que trás o potássio
E um docinho abacaxi.

Água em abundancia,
Respirar com gratidão
Como a querer atracar
O ar dentro do pulmão.

Uma boa caminhada
Reduz o colesterol.
O organismo dinâmico
Tem as bençãos do urinol.

Arroz, feijão e polenta
A nobreza do macarrão
Que a Itália trouxe ao mundo
Dando vida à refeição.

Alface, bertalha, agrião
Taioba, repolho, salsão
Não se pode esquecer
O tal do mangericão

Verde, vermelho, amarelo
O milagre nascido do chão
O azeite extra virgem
Para a finalização.

Comer com muita alegria
A folhagem abençoada
O grão que é santificado
E a fruta adocicada.

Nas tardes, sempre rezar
Para deus uma oração
Depois a deliciosa
Sopinha do fruta pão.

Carne, uma vez por semana
Yogurte não pode faltar.
Refrigerante, deus me livre
Embutidos, deixe mofar.

Chazinho de camomila
Banchá e "aperta ruão"
O boldo é o melhor amigo
Pra ajudar a digestão.

O homem com ventre entupido
"Anda meio que de lado"
Olha pra moça bonita
Com ôlho de mal olhado

E a mulher de salto alto
Que tem titica escondida
Mesmo com dois celulares
Falta-lhe tudo na vida.

Se a terra gira de lado
Se eu desentupí Antonico
Cocô sendo provocado
O ventre pede o pinico.



                      "Vou te contar um segredo
                       Fica entre eu e voce:
                       Bunda se limpa com "Jato"
                       Assentadinho em bidê"



Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 21/07/2008
Alterado em 14/08/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras